Relembrando Ultraman Tiga [Análise sem spoilers]

No texto de hoje quero convidar vocês para uma viagem ao passado. Não sei quanto a vocês mas, lá no início dos anos 2000, quando eu era uma criança burra e com pouca capacidade de dizer o que era bom e o que não era, começava a passar na TV um programa que me chamou a atenção de cara. Verdade seja dita, as crianças antes dos 10 anos se impressionam com qualquer coisa.

Enfim, começava a ser transmitido Ultraman Tiga e fiquei viciado naquilo. Muito disso se deve ao meu pai que me incentivou a gostar dessas coisas mas, aquela série em particular, me fazia enfiar a cara na televisão toda hora que estava no ar. Mas será que ela era realmente boa? É isso que quero dizer aqui pra vocês.

Depois de rever  a série, agora com minha cabeça critica de um cara de quase 25 anos, posso dizer que sim, Tiga é realmente uma série boa. Porém, devo dizer que não era aquilo tudo que eu sonhava quando criança. Antes de Orb, X e Geed, o formato das séries Ultraman era beeeeem diferente. Geralmente naquela época essas produções tinham entre 45 a 50 episódios e esse grande número de capítulos é um dos problemas para mim.

As produções dessa época não tinham um inimigo causador de todos os desastres, como acontece atualmente. Na maioria das vezes a explicação era um surto repentino de invasão de monstros e aliens na Terra (ou melhor, no Japão) e foi assim durante um bom tempo porque vamos concordar que se tem tanto episódio é por que isso aconteceu por um tempão. Esse desenvolvimento da trama acarretava nos benditos episódios do monstro da semana que não acrescentavam muito ao todo da série além da falta de explicação de como um país conseguiria aguentar tanta destruição, durante tanto tempo.

Por sorte, Ultraman Tiga não caiu tanto nesse modelo durante sua jornada. Os episódios focavam em desenvolver um personagem da GUTS, que aqui é o esquadrão de defesa do nosso planeta, ou tinha tramas bem legais com pensamentos interessantes. Esse foco da série faz com que o espectador tenha vontade de continuar assistindo mas, mesmo assim, tem umas vaciladas de vez em quando com alguns capítulos dispensáveis como a bendita história de Halloween ou até mesmo a da invasão dos vampiros. Sim, tem uma invasão de vampiros na série e só de falar vocês já devem pensar que algo assim em Ultraman é ridículo. Por sorte esses episódios não são recorrentes, acredito que são cerca de uns 10, o que não estraga a experiência como um todo.

Os personagens, em sua maioria, são bem legais e fazem você gostar do desenvolvimento de cada um deles, que revezam o protagonismo no decorrer da narrativa. Acho que a única coisa que incomoda, mas isso não é culpa da série, é que a dublagem em português é fraca. Um ou outro personagem tem uma voz boa e, revendo alguns trechos com legenda em inglês, peguei detalhes que na versão dublada não apareceram. Se for assistir procure legendado, acho melhor.

Aconselho que, caso você já tenha acompanhado outras séries menos extensas, dê uma chance, mas não assista Tiga para começar sua jornada na franquia. Primeiro veja se você gosta do gênero, depois se aventure na série!

No texto de hoje quero convidar vocês para uma viagem ao passado. Não sei quanto a vocês mas, lá no início dos anos 2000, quando eu era uma criança burra e com pouca capacidade de dizer o que era bom e o que não era, começava a passar na TV um programa que me chamou …

Review Overview

Ultraman Tiga

User Rating: Be the first one !
80

About Ygor Medina

4 comments

  1. Leonardo Bento de Souza

    Tiga foi a minha primeira série ultra que assisti, naturalmente gostei muito na época e até hoje considero a série de qualidade. A trama principal sobre a origem do personagem era bem interessante e mesmo os episódios “comuns”, ao menos em sua grande maioria, eu considerava bons, sobretudo ambos os episódios que aparecem o alien Kyrieloid, com todo um pretexto meio religioso por trás e o duplo-episódio GUTS no espaço, que possuem uma temática bem ao estilo Exterminador do Futuro e Skynet.

    O duplo-episódio da origem do Evil Tiga, A Estrela Ultra (homenageando Eiji Tsuburaya e o 1º Ultraman) e os 3 episódios finais na minha opinião são obras-primas no meio Tokusatsu.

    Também recomendo fortemente o filme Ultraman Tiga: A Odisséia Final, que explora mais a origem do personagem e dos ultras daquela realidade. Na minha opinião o melhor filme de Ultraman já lançado até hoje.

  2. Comecei a assistir essa série no ano passado e está um sofrimento continuar, enrosquei no ep 25 e estou tomando coragem para continuar.

  3. hum,obrigado pelas informações. Nao lembrava se a dublagem era boa ou ruim. Agora vejo que melhor procurar legendado. Acho que vou ver primeiro o Jack e dps vejo o Tiga. Abertura do Tiga e linda.
    Dificil achar quem legenda,pessoal legenda mais kamen rider e super sentai.

  4. Lembro de assistir Ultraman Tiga na Record, mas infelizmente não pude acompanhar na época, mas revi a serie a um tempo e devo dizer que apesar de muitas inovações ela sofre com algo que me incomoda e que tem em varias series de tokusatsu: os episódios que são fechados que tem o monstro da semana como o próprio texto fala. É óbvio que acontece bem menos, mas ainda assim acaba ficando um pouco maçante, mas justamente a trama principal é que prende a continuar assistindo. Sobre a dublagem, eu acho ela boa, é claro que eles devem ter deixado passar alguma coisa, mas não achei ruim.

    Mas enfim, Tiga merece ser assistido, pois ele foi um marco para a família ultra querendo ou não.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*