Vamos assistir? | Power Rangers RPM #Senpuuindica

Fala galera do Senpuu, tudo trunks?

Aqui é o Ghile e a publicação de hoje é sobre uma série muito bacanuda!

Eu já tinha assistido alguma coisa na época que passou na Band mas, por um acaso, acompanhei recentemente pelo Netflix e, meus queridos, que série maravilhosa! Estou falando de Power Rangers RPM.

Power Rangers RPM / Engine Sentai Go-Onger

A trama alguns de vocês devem conhecer: um vírus de computador se tornou tão auto suficiente que iniciou uma guerra contra a raça humana, criando seu próprio exército de robôs.

Vilões de RPM

Após algum tempo, o mundo é completamente devastado e o único lugar seguro existente é a cidade de Corinto, que é uma enorme cúpula que transmite aos habitantes diversas sensações térmicas, simulando as condições da Terra de outrora.

Mesmo Corinto tendo um baita exército e sistemas de proteção, Venjix, o grande vírus por trás da devastação mundial, invade a cidade completamente vedada.

Corinto

Partindo desta premissa inicial, podemos esperar uma aventura muito boa!

Para salvar a única esperança de reconstruir a Terra surgem as “Unidades de série Rangers”: os Power Ranger RPM. Não fica claro na série, mas acredito que RPM venha de “rotação por minuto”, sigla usada na contagem das rotações de um motor. E, sim, não tem nada a ver com a banda do Paulo Ricardo.

Os controladores das Unidades de série Rangers são:

Scott, o vermelho. Típico personagem irmãozão, é filho do comandante do exército de proteção à Corinto, era piloto do esquadrão águia durante a guerra contra as máquinas. Ele vê o avião do irmão ser abatido e também é atingido. Após o impacto, Scott sobrevive, mas o irmão não. Ele fica à deriva no deserto durante horas até ser salvo por…


Summer
, a amarela. Menina boa de briga. Ela é filha milionários e era uma patricinha mimada antes da guerra. Após o início do conflito, a família fica pobre. Ela tem seus próprios interesses e um forte espírito de luta. Corajosa, começa a se envolver com Dilon, após ficar intrigada com o passado esquecido do rapaz. É aquele típico personagem feminino durona.

 

Flynn, o azul. Mecânico como seu pai, enfrenta vários dilemas desde a infância e sempre teve o prazer em ajudar as pessoas, ou pelo menos tentar. Ele é escocês e, em várias cenas, aparece usando o tradicional kilt. Às vezes fica apagado na série e, após a entrada de Gen e Genma, ganha um destaque bem fraco em um início de relacionamento amoroso. No protocolo, é o personagem bacana que os roteiristas deixam de lado.

 

Dillon, o preto. É o destaque da série. Bonitão, não lembra de seu passado e chega a Corinto de uma forma estranha. Ele tem flashes de memória que aos poucos vão se juntando para mostrar o real passado do rapaz, bem tenso. Em um determinado momento, ele fica focado em encontrar e salvar sua irmã que estava presa junto de Gen e Genma. É tipicamente o bonitão com amnésia.


 

Ziggy , o verde. Magrelo e desajeitado, ele parece ser um charlatão. Ao voltar a Corinto, descobre que todas as gangues da cidade estão atrás dele e, no desenrolar da história, você percebe que ele é um camarada bem gente boa. O típico personagem desajeitado.

 

Gen e Gemma, o dourado e a prata. Posso falar dos dois juntos porque basicamente são um só.

Eles são irmãos criados em laboratório, mega inteligentes e muito infantis. Sempre ficam felizes com explosões e completam as frases um do outro. A entrada dos personagens traz para a trama um relacionamento amoroso bem divertido e também acontece uma parada que eu chorei muito…

 

Completando o elenco temos a Doutora K que, ao meu ver, é a personagem principal da série! Mega inteligente, foi criada dentro de um laboratório e quase nunca viu a luz do dia. Ela cria as Unidades de série Rangers e depois a gente descobre que ela tem muito mais em comum com Venjix e a destruição do mundo.

 

O que me cativou nessa série foram a singularidade e o enredo fechado que ela tem. Cenas mostradas nos primeiros episódios são completadas no decorrer da narrativa e você fica pasmo, pois um pequeno detalhe é justificado no desfecho.

Dizem que RPM é bom já que faz uma sátira usando algumas perguntas estilo Akibaranger, do tipo: “Por que explode quando nos transformamos?” Eu digo para vocês que isso é bom também, mas é só uma parte!

 

Vale ressaltar também que quase não foram aproveitas cenas de Go-Onger. Eu prestei muito a atenção e quase todas as lutas, principalmente transformados, foram refeitas. Para mim, essa é a adaptação de Super Sentai que mais foge do contexto original.

Na cronologia do universo Power Rangers a série se passa em um tipo de mundo alternativo ou outra dimensão, pois acontece um crossover de RPM com Power Rangers Samurai no qual apenas o vermelho de RPM participa.

A aventura é relativamente curta, com apenas 32 episódios e vale muito a pena assistir! Para quem é saudosista, posso dizer que RPM me lembrou bastante Cybercops. Digamos que se fosse feita uma continuação de Cybercops no futuro de Jupiter, acredito que seria dessa forma.

É isso, galera! Aqui foi o Ghile, boa diversão e…

Juu Mousou

About Guilherme Armelau

3 comments

  1. na realidade é racing performance machines, Máquinas de desempenho de corrida 😉

  2. Melhor fase de Power Rangers sem dúvida.
    A maneira como inserem humor inteligente no meio do tom dark dá série é excelente.
    Ziggy melhor personagem de longe.

  3. Assisti até agora 3 episódios. Bem melhor do que Go-Onger, não tem nem comparação!Tanto os atores quanto os personagens são bem melhores!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*