Alma de Ouro

022

Fala, trupe!

Hoje vamos falar da série Cavaleiros do Zodíaco: Alma de Ouro. O anime que teve 13 episódios chega a seu fim e já deixa saudades. Vamos analisar o que foram esses capítulos!

No dia 11 de abril foi exibido o primeiro episódio de Saint Seiya: Soul of Gold (Cavaleiros do Zodíaco: Alma de Ouro) via stream. Com direção de Takeshi Furuta e roteiro de Toshimitsu Takeuchi, a proposta era trazer os cavaleiros de ouro como protagonistas. Dessa vez, nosso herói é Aioria de Leão que, ao acordar em Asgard, agora o palco da nova aventura, não entende como pode estar novamente com vida, já que foi morto na destruição do muro das lamentações na saga de Hades. A partir desse ponto se iniciam os eventos dessa nova trama.

Takeshi Furuta quis explorar vários pontos dos dourados que ficaram de fora na série clássica como, relacionamento entre os irmãos Aioria e Aioros, o que Aioria sentia em relação a Shura por ter matado seu irmão e também dar mais ênfase a alguns personagens pouco aproveitados na série como Aldebaran, Afrodite e Máscara da Morte.

Recheado de ação e reviravoltas interessantes, alguns episódios são excelentes e outros nem tanto. Sim, a qualidade oscilou de capítulo par capítulo, tanto no enredo quanto na animação. E já que estamos falando em animação, isso talvez tenha sido o maior problema da obra. Muitos episódios eram extremamente mal desenhados, com traços que chegavam até a deformar os personagens… O motivo é a participação de desenhistas diferentes ao decorrer da série, mas isso será corrigido com o lançamento do Bluray.

sou olf gold imagem 1

A história, embora empolgue por trazer de volta todos os dourados à tela, demonstra claramente pressa no roteiro em alguns momentos, episódios corridos, alguns deles chegando a ter três subtramas diferentes, além da reciclagem de imagens já utilizadas. Era normal ver uma cena que já tinha sido usada em capítulos anteriores, apenas com mudança de cenário.

O enredo foi bem trabalhado, conduzindo bem a história. Usar Asgard como cenário foi uma decisão excelente por parte de Furuta, pois ele mesmo afirmou que considerou Asgard pois já era um cenário bem conhecido pelos fãs e seria ótimo poder explorar mais isso. E foi o que ele fez. Desta vez o vilão era Andreas, substituindo Hilda e sendo o representante do deus Odin na Terra. Com uma falsa utopia, ele quer dominar toda Asgard e, não só isso. Com o poder dos Cavaleiros de Ouro ressuscitados, ele pretende (pra variar) dominar o mundo, aproveitando o caos do momento, já que Athena enfrentava Hades no submundo.

20150829laguna_soul_of_gold_113_loki_god_cloth

Mais a frente vemos quem está por trás disso: é o falso deus Loki, que precisava do poder de todas armaduras douradas para trazer de volta a lança de Gungnir, que traria o poder suficiente para concluir seus objetivos. O anime contou também com o uso de algumas rimas visuais interessantes fazendo ligações com a série clássica. Um exemplo é  a primeira aparição de Aioros, mostrada por meio de flash-back, algo que também aconteceu na série original.

Como citei acima, houve também o desenvolvimento de muitos dourados como Máscara da Morte buscando por redenção e se apaixonando por uma moradora de uma vila de Asgard. Afrodite, se mostrando um cavaleiro extremamente poderoso e estratégico. Dohko, fanfarrão e divertido, mas se portando com um líder nato de todos os 148 cavaleiros e sobrando espaço até para degustar de uma biritinha ao lado de Aldebaran. E, por falar em Aldebaran, o mesmo não fica devendo nada a nenhum outro, poderoso, imponente e reservado, dizendo que não gosta de lutas sem fundamento.

Screenshot-2015-05-06-11.52.51

Também foi explorada (mesmo que pouco) a relação de amizade entre Miro e Camus. Este último escolhe ficar do lado dos guerreiros deuses devido a uma promessa feita quando criança. Shura tira um peso das costas ao dizer a Aioria que um dia faria algo para tentar compensar a dor que causou a ele. Mu, sempre sábio e cauteloso, Saga, imponente e dito como o mais forte dos Cavaleiros de Ouro (aposto que o Kanon não curtiu), com certeza deixou muitos fãs putos. Mas em cavaleiros sempre foi assim, para que lógica?

Shaka, um dos mais queridos da galera, em primeira instância apenas aguardando e logo depois indo ao combate, enfrenta o guerreiro deus Balder, que possui um poder divino. E, finalmente, nosso protagonista! Aioria de Leão, mostra a que veio. O cavaleiro escolhido pelo próprio deus Odin. Segundo ele, Aioria é um True Warrior, o verdadeiro guerreiro. Incubido de salvar Asgard da tirania de Andreas, guiado por Lyfia, personagem totalmente importante na a trama, ela também foi responsável pela ressurreição dos dourados e começa a demonstrar um sentimento por Aioria.

Não posso deixar de citar a trilha sonora, composta por Toshihiko Sahashi, com músicas leves e com um tom medieval para deixar a série ainda melhor.

Aiolia_Soul_of_Gold_Episodio_01

Vejamos os pontos negativos e positivos da obra.

Pontos negativos

Pressa no roteiro | Como a série só teria 13 episódios é natural que tentassem desenvolver a trama rápido. Porém, alguns capítulos sofreram com isso, deixando de explorar alguns pontos. O próprio diretor disse que a cada episódio um cavaleiro de ouro poderia “morrer”, mas isso foi feito de forma muito corrida e até forçada demais em determinados momentos.

Traços | Alguns traços estão muito amadores, deformando os personagens. Parece que a cada episódio era um desenhista diferente, pouquíssimas vezes acertaram em cheio. Alguém me diga o que aconteceu com a barbixa do Máscara da Morte?

Repetição | Eu poderia citar esse quesito nos traços, mas especifiquei para falar sobre a reciclagem de cenas. Não que não seja usada por outros animes, mas em Alma de Ouro isso foi feito em praticamente todos episódios. Inclusive, aproveitavam cenas da abertura do anime para poder complementar sequências em algumas ocasiões.

Pontos positivos

Personagens | Com certeza o ponto forte da produção. Todos os Cavaleiros de Ouro tem uma boa participação, desenvolvendo alguns deles que, pode-se dizer, foram injustiçados na série clássica. Os novos guerreiros deuses, sete personagens, são todos interessantes embora alguns não tão desenvolvidos, mas outros com histórias cativantes como Frodi, um guerreiro deus orgulhoso, já que sua família foi protetora do próprio Odin na Terra e que faz papel de antagonista a Aioria. Sigmund, irmão mais velho do guerreiro deus Siegfried, era preferido ao cargo de guerreiro deus ao lado de Hilda mas, ao perceber que ela estava sendo controlada pelo anel Nibelungo de Poisedon, foi trancado em uma cela. Sendo assim, o irmão mais novo assumiu o posto. Utgard, misterioso, sempre usando uma máscara que gerou várias especulações entre os fãs, mas na verdade era para esconder as marcas do Einherjar. Surtr, guerreiro deus amigo de infância de Camus de Aquário, carregava o ódio por Camus ter matado acidentalmente sua irmã e diz que por isso não quis se tornar um cavaleiro de Athena.

O Protagonista | Para nós, fãs da série, as preferências do mestre Kurumada já são conhecidas, por isso, não estranhamos muito ele usar Aioria. Mas, por que um ponto forte? Pode se dizer que dentre todos os Cavaleiros de Ouro, o representante de Leão sempre foi que teve a história mais desenvolvida desde sua aparição na série clássica. Vale lembrar que não foi a primeira vez que Aioria protagonizou uma série, ele é o herói também da saga Episódio G (somente mangá). Há quem diga que ele é o “Seiya dos Cavaleiros de Ouro”.

Trama | Cheia de reviravoltas, a trama se mostra firme e mantém o foco até o desfecho, que faz um ponte com a Saga de Hades, quando Poseidon se comunica com os Cavaleiros de Ouro dizendo que pode enviar suas armaduras para os Cavaleiros de Bronze lutarem contra Hades.

og_goldsaint

Conclusão, Alma de Ouro veio em uma boa hora, com uma história nova e usando personagens queridos da maioria dos fãs. A Toei arriscou e teve sucesso, já que desta vez distribuiu a obra em sistemas de stream e todos puderam acompanhar a saga online. Coragem da parte da produtora, que lançou uma nova série após pouco tempo de fracassos como Cavaleiros do Zodíaco Omega e o último filme Cavaleiros do Zodíaco: A lenda do santuário.

Essa obra entra pra história e prova que CDZ está mais vivo do que nunca! E vocês? Deixem os comentários sobre o que acharam? Citem os pontos bons e ruins da série e digam também se cabe mais uma temporada!

About Júlio Ashram

4 comments

  1. Goste muito de Soul of gold, achei épico. E eu sempre achava que os cavaleiros de ouro deveriam também ganhar uma armadura divina. Com relação especificamente à correria no roteiro, acho que não deixou nada a desejar, pelo menos eu não vi nenhuma lacuna que faltou ser preenchida, as lutas principalmente eu ouvi muitas reclamações de serem muito rápidas, mas por exemplo na Saga de Hades vejam, isso já acontecendo! Com certeza vai deixar muitas saudades, mas o consolo é que ano que vem tem 30 anos de Saint Seiya e com certeza vai vir coisa grande ela frente. Tomara que venha a continuação e animação de Next Dimension ou a Saga de Zeus.

  2. Acabou da melhor forma possível. Um dos grandes receios que muitos fãs alimentavam era se a série ficaria sem se interligar a obra original, mas felizmente assim como aproveitaram o universo de asgard na trama, a produtora não deixou nenhuma ponta solta na série, a colocando no merecido lugar dentro da grande história de Saint Seiya.
    Foi ótimo ver toda a importância e potencial dos santos dourados em atividade. Todos tiveram sua participação e pontos de carismas respectivamente aumentados.
    A série ainda tem futuro e enquanto não vermos Atena e seus cavaleiros enfrentando o Olimpo todo, não ficaremos satisfeitos.

  3. Leonardo Silvio

    Adorei a ideia, o anime foi sensacional e com gosto de quero mais.
    o mais interessante foi ver uma historia dentro da historia, nunca imaginaríamos que haveria uma nova saga relativa as cavaleiros de ouro, isso foi uma grande sacada, e mostra a força dos cavaleiros, podendo ate rolar alguma continuidade do anime, porém acho que poderia ser mais longo, e dar mais enfase na vida de cada cavaleiro como acontece em lost canvas…
    mas não tira o mérito do anime, gostei, indico, e assisto de novo, espero que refaçam lost canvas ou que venha a saga de Zeus, quem sabe…
    valeu senpuu, valeu amigos até a próxima.

  4. Amei o anime. Ficou bem legal a história,apesar de curta. Foi legal ver como os fãs reagiram bem as séries.
    Foi um dos melhores animes de 2015.
    Espero que continue tendo animes de SS nos próximos anos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*